sexta-feira, 11 de junho de 2010

Ayaan Hirsi Ali

Existe uma aura quase mística em torno da ativista política e escritora somali Ayaan Hirsi Ali, que carrega a alcunha de “a mulher que desafiou o Islã“.

Eleita pela revista Time como uma das cem personalidades mais influentes do planeta e premiada por seu trabalho a favor da liberdade de expressão e dos direitos das mulheres, Ayaan teve uma vida de revezes e sofreu na pele as brutalidades do fundamentalismo religioso. Sofreu excisão do clitóris aos cinco anos de idade, na maturidade rompeu com o Islã e fugiu do seu país para a Holanda, onde conseguiu asilo político para não ser casada a força pelo próprio pai. Mais tarde, em 2004, teve seu companheiro de trabalho, o cineasta Theo van Gogh, assassinado por conta do filme Submissão , que ela roteirizou e que criticava a situação da mulher no Islã. Também jurada de morte, desde então, vive debaixo de um forte esquema de segurança preparada para o pior. Parece um contrasenso que a vida da ex-deputada esteja em risco apenas porque tem a utopia de que os indivíduos sejam vistos pelo que valem como um todo, não pelo que a cor de sua pele, seu gênero ou sua religião represente.

Prêmios:

1) No dia 20 de Novembro de 2004 Ayaan Hirsi Ali foi galardoada com o Prémio Liberdade do Partido Liberal da Dinamarca "pelo seu trabalho a favor da liberdade de expressão e dos direitos das mulheres". Devido a ameaças de fundamentalistas islâmicos não foi possível a Ayaan estar presente na cerimónia de entrega do prémio. No entanto, um ano depois, a 17 de Novembro de 2005, ela viajou até à Dinamarca para agradecer pessoalmente a Anders Fogh, primeiro-ministro da Dinamarca e líder do Partido Liberal.

2) No dia 29 de Agosto de 2005 Ayaan foi galardoada com o Prémio Democracia do Partido Liberal da Suécia "pelo seu corajoso trabalho a favor da democracia, direitos humanos e direitos das mulheres."

Fontes: ebooksgratis.com.br / Wikipédia

3 comentários:

Nanda disse...

Nao a conhecia... Achei a vida um exemplo!
Bj!!!

Marliborges disse...

Graças a Deus que existem mulheres com essa garra, que tem coragem, discernimento e inteligência para lutarem contra essas forças nojentas e subterrânes que andam soltas por aí.
Peço a Deus que continue abençoando ela, dando-lhe clareza e protegendo-a nas suas andanças em favor das mulheres.

Aline Sideris disse...

Tb não conhecia essa daí...de cair o queixo..

Beijaao Mirtes!!!